segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Roça, Sex and City, Vinnya (pura maluquice) e....

11/10/2016

Nada enxergo na escuridão da rua que segue a frente da casa onde estou hospedado. Um sinistro silêncio total me aterroriza um pouco. Nem a voz dos  vizinhos escuto, parece não haver ninguém em casa. A casa onde estou não é nada segura, uma cerca de arame farpado com um portão de madeira, qualquer pessoa pode adentrar para dentro do terreno, basta querer. As janelas e a porta de madeira me deixam com uma forte impressão de insegurança. Felizmente o local é composto por pessoas simples e trabalhadoras, que cansadas a esta hora, devem estar quase dormindo. Como estou muito cansado por ter andado o dia inteiro, caio no sono sem perceber,  e acordo apenas pela manhã bem cedo.
Hoje, 15 de outubro de 2016, já em Volta Redonda, curti em casa um sábado quente, chuvoso, a noite uma espécie de forró num bar aqui perto, que não chega a me incomodar por eu dormir nos fundos, mas com certeza incomoda muitos moradores próximos. Mas lá pelas 22h30min desligaram o som, talvez não o liguem novamente, caso não se trate de uma pausa.
Hoje, achei a Carrie bem chatinha na quarta temporada de Sex and City. Bem chatinha mesmo. Comecei a ver Vinnya, Espíritos da Selva, que tem um ritmo lento, mas fiquei curioso sobre o que pode acontecer, o filme não é previsível, pelo menos para mim, então vi um pedaço, e como costumo fazer, amanhã, vejo mais um pouco. Depois vi o final, mas ele escambou para uma coisa doida, com um final muito esquisito. Não gostei, nem vale a pena ver.
Nesse momento em que escrevo são 23 horas, e já estou pensando em ir dormir, parece até que é de propósito, nessa hora dois dos cinco cães do vizinho ficam agitados e começam a brigar, a dona dele consegue gritar mais alto que eles, acaba deixando agitados todos os moradores da casa. De repente tudo fica calmo, mas parece que houve uma contaminação para outros vizinhos que nunca percebemos que estão em casa, de tão quietos que ficam, num repente começam a gritar algo que não consigo entender o que é, parece que gritam com alguém ou com algum animal, não entendo bem, só penso que hoje a noite está meio esquisita, embora eu não esteja na escuridão da roça que estivera uns dias antes, e lá só houve paz e sossego.

5 comentários:

✿ chica disse...

Gosto como escreves e descreves os cenários... Muito bom! Aproveita teu céu de férias,rs...Que os cachorros e vizinhos não te atrapalhem,rs abraços, chica

Magui Só disse...

O meso de ataque durante a noite é verdadeiro.às vezes penso que, enquanto dormimos, alguém maquina algum ataque. Tomara que a bonanza dure muitos anos por esses lados. Escolheu maravilhosamente a ilustração do texto.

Nanda disse...

Eu não ia conseguir dormir nunca, num lugar assim; ia morrer de medo. Espero que aproveite ainda mais este finalzinho de férias.

FABIOTV disse...

Olá, tudo bem? Ainda bem que eu não moro perto de bar... de casa noturna... Imagina eu ouvir forró quando vou dormir? Não.. nã... Rs.. Abs, Fabio www.tvfabio.zip.net

Lucas disse...

Saudade da roça natureza e a calmaria da natureza, eu prefiro natureza do que a correria da cidade grande.

Natureza me traz paz de espirito.